Epitáfio e haikai – exercite sua criatividade

18 06 2009

Já que da morte não escaparemos e parece que a vida é melhor com ela do que sem (difícil pensar assim antes de ler As intermitências, não é mesmo?), o melhor é aprender a conviver com ela. Saber que um dia não estaremos mais aqui é (olha que coisa mais barroca) nos responsabilizarmos por aproveitar o nosso tempo do melhor jeito. O que é esse melhor jeito, a melhor maneira de viver, aí é uma outra conversa. Talvez eu, vocês e o restante da humanidade inteira nunca consigamos descobrir uma resposta para isto. Mas não podemos deixar de perguntar, não é mesmo?

Por isso eu quero fazer com vocês um exercício de imaginação e de criatividade. Como vocês querem ser lembrados? Que marcas na vida das outras pessoas e no mundo vocês querem deixar? Hoje, agora, como vocês pensam que vocês devem viver a vida que vocês têm disponível para vocês?

Os epitáfios são as inscrições que parentes ou amigos deixam nos túmulos de seus entes queridos. Neles costuma-se destacar as características mais marcantes da pessoa que se foi. Alguns epitáfios são citações de versículos bíblicos, outros de declarações filosóficas ou de versos.

Que palavras vocês gostariam que fossem usadas para assinalar quem vocês foram na Terra? Para construir o epitáfio de vocês, vocês poderão lançar mão de duas coisas:

1 – Uma citação (pode ser bíblica, poética, filosófica, não importa)

2 – Um haikai feito por vocês mesmos.

Não sabe o que é um haikai? Eu explico!

Haikai é uma estrutura poética japonesa originária do século XVI. Os haikais são poemas de três versos e 17 sílabas poéticas (geralmente distribuídas em 5-7-5). De uma maneira geral a temática de um haikai é uma impressão filosófica do eu lírico sobre um fenômeno natural, uma ação, uma imagem ou um fato da vida. Assim, o haikai é uma espécie de olhar fotográfico. Na tradição japonesa, os haikais são sóbrios e pouco ou nada apresentam sobre os elementos internos do eu lírico. Modernamente, os vários poetas que fizeram uso do haikai (aqui no Brasil, por exemplo) minimizaram este caráter objetivo do haikai, dando conotações emotivas a ele. Veja alguns exemplos:

pássaro preto
tem irmão na gaiola:
pássaro preso
(Carlos Seabra)

Dia de Finados
Formigas carregam
Pétalas que caem.
(Jorge Lescano)

Pintou estrelas no muro
e teve o céu ao
alcance das mãos
(Helena Kolody)

Detalhe: o melhor haikai, a ser escolhido por júri especializado, receberá uma premiação especial surpresa quando encerrarmos o fórum.


Anúncios